domingo, 11 de julho de 2010

Dormindo pela primeira vez juntos...

Sexta feira completava quase uma semana que não via o Dono de mim. Estava ansiosa pelo nosso encontro. Dessa vez sabia que ele iria me preparar algo especial, pois era um feriadão e ele tinha me ordenado que dormiria na casa dele. A cada encontro ele mergulharia mais profundo em minha alma e no meu adestramento e eu estava adorando tudo isso. Que loucura a minha. Não só havia me encontrado com um homem que conheci em uma sala de bate-papo como estava ansiosa por reencontrá-lo e já me sentia completamente submissa a seus desejos. Loucura maior é excitação que sinto todas as vezes que me lembro das imagem espaçadas em minha mente. Não fico molhada agora. Fico completamente melada. Sinto como se minha xaninha ficasse a receber comandos para se preparar para ser tomada pelo pau grosso do seu Dono.

É como se agora meu corpo tivesse aprendido a se preparar para receber seu pau todo socado dentro de mim, para suportar horas bombando lentamente, depois mais rápido e intesamente. Para que possa sentir toda a sua volúpia dentro de mim.
... aaaaahhhhhh ... só de lembrar meu corpo fica mole .... Durante todo tempo que estivemos juntos me senti uma verdadeira kdelinha. É como se sempre tivesse sido uma cadela, mas houvesse perdido e o Dono há muito tempo e só agora tivesse reencontrado. Quanto tempo perdido! Agora estava sendo recompensada pelo tempo que havia ficado sem ser fodida.

O Dono de mim me deu seu pau com tanta intensidade, cada vez mais abrindo minha buceta para receber todinho dentro de mim pois seria um desperdício deixa um pouquinho daquele pinto tão gostoso fora na minha xaninha. Em outros momentos recebi ele na minha boquinha e todas essas lembranças se misturavam, tornando o sentimento de ser uma cadela tão intenso e presente.
Trabalhei contado às horas, pois não aguentava mais para encontrá-lo novamente.

Estava com tanto tesão que me tornava vulnerável e submissa ao meu Mestre, louca para ser tomada e tratada como uma verdadeira cadelinha. Quando chegamos a sua casa, ele mal fechou a porta me pegou com força, me virando com facilidade. Me encostou na parede, pressionando seu corpo sobre o meu e pude sentir o volume do seu pau na minha bunda. Ele não exitou e levantou a minha saia, estourando a minha calcinha com as mãos. Nem liguei. Eu queria era mais. Tinha adorado!

Ele encostou seu pau em minha xaninha completamente encharcada e pude sentir aquela chapeleta deslizando sobre o melado da minha buceta. Não aguentei e virei, já me agachando para abocanhar aquele pinto melado, mas ele foi mais ágil e me pegou pelos cabelos me impedindo. Fiquei ali com a boca aberta e a lingua pra fora, me esforçando para alcançá-lo. ... babando ... louca para chupar o pau do meu Dono. Ele falou com sua voz suave e ao mesmo tempo segura:

- Calma minha cadelinha vou deixar você se deliciar com o pau do seu Dono, mas quando eu ordenar pois agora eu vou foder a minha kdelinha nessa sua xaninha que está muito apertada e fechadinha e seu Dono quer deixar ela bem fodidinha e aberta.

Mal terminou de falar isso e já foi me levantando pelos cabelos e me colocou contra parede novamente, e empurrou o pau na direção da minha boceta, tentando socar o pinto, só que deslizou no melado da minha xoxota. Ele ficou excitado e me deu um tapa muito forte, com vontade na bunda e me ordenou para levantar o rabo que ele queria socar com vontade. Ele enfiou seu caralho grosso todo em minha xaninha e começamos a gemer em sincronia.

Nunca um homem tinha entrado tão fundo em mim. Nunca tinha sentido um pau me tocar tão profundamente e me fazer ter um sentimento de plenitude tão grande. Não era só físico, era mental, espiritual. O contato com o seu corpo me fazia relaxar, me deixar tranquila, serena, entregue. A cada estocada do seu pau, os pensamentos se tornam mais distantes. Tudo se dissipa e sou apenas kdeli, uma mulher/cadela totalmente realizada por ser desejada intensamente por seu Dono e por poder satisfazer todos os seus desejos.

O Dono de mim ficou por muitos minutos usando meu rabinho, me alargando. Às vezes me fodia muito rápido, sem se importar se eu estava gemendo de dor ou de prazer. Noutros momentos, metia até o fundo e tirava muito lentamente, observando atentamente cada gesto da sua kdelinha. Minha xoxota estava em chamas, louca de tesão, implorando pra que ele derramasse seu leite todo dentro dela. Quando eu estava prestes a gozar, ele me puxou mais uma vez pelo cabelo e me ordenou:

- Venha comigo kdeli. Agora você vai ser fartar de chupar o pau.
Me colocou de 4 em frente à sua cadeira e se sentou nu na minha frente, com o pau completamente melado da minha xoxota.

Abocanhei seu pau sem nem pensar direito e quando vi já estava com sua glande encostada em minha garganta, enquanto ele dava tapas em minha bunda e minhas costas. Chupei o pau do meu Dono como nunca havia chupado um pau antes. É tão delicioso, grosso e com um cheiro tão gostoso.
Meu Dono sabia como me tratar. Era impressionante como um homem que mal me conhecia, sabia como exatamente como me tratar para que eu ficasse completamente entregue. Enquanto o chupava, ele também puxava meus cabelos e me chamava de sua kdelinha linda...

- Isso kdeli, engula o pau do seu Dono completamente. Não deixe nada de fora. Quero ver você se engasgar com esse cacete!


Ele então puxou minha cabeça e começou a foder minha boca, como se fosse uma boceta. Nunca tinham feito aquilo comigo. Já tinha chupado outros homens, mas ninguém nunca tinha forçado minha boca sem se importar se eu estava aguentando. Aquilo me deixava ainda mais excitada. Eu estava sendo abusada pela boca e estava amando. Senti seu pau ficar cada vez mais inchado, mas não conseguia me desvencilhar.

O gozo estava próximo e não conseguia me imaginar com seu sêmen na boca. Diversas ideias negativas passavam na minha cabeça. Nojo, gosto ruim, submissão demasidas... e enquanto tudo isso se embaralhava na minha cabeça, senti um jato forte de um liquido quente e grosso encher toda minha boca e tocar minha garganta ao mesmo tempo que ouvia o gemido gostoso anunciando o tão esperado gozo do meu Dono. Não sabia o que fazer, mas não me atrevi a tirar a boca do seu pau, nem sequer pensar em deixar cair uma gota do seu leite. Enquanto afagava meu cabelo, ele começou a dizer:

- Muito bem kdeli... muito bem... Agora beba tudo! TUDINHO!!!

Ordenou com uma voz forte, que jamais tinha usado antes. Antes que pudesse pensar em mais alguma coisa já estava bebendo meu Dono e me tornando ainda mais sua escrava. Agora eu tinha parte dele dentro de mim. Agora parte do seu corpo tinha me alimentado. Não conseguia pensar em outra coisa a não ser em como aquele gesto me fazia me sentir usada e ao mesmo tempo pertencente a ele. Tinha nojo e queria mais.



Nunca imaginei que me sentiria tão realizada como mulher sendo uma kdelinha completa e sento tratada dessa forma. No primeiro momento, confesso que tentei me esquivar, fiquei apreensíva pois não via com bons olhos os termos: cadela, submissa, dominada... ao meu ver era maus tratos. Felizmente tive muita sorte em encontrar um Dono compreensivo e gentil comigo. Ele me chama carinhosamente de Kadelilinda e é paciente no meu adestramento. Mas como um bom Dono que é, me ordena com firmeza a cumprir tarefas e tem sido rígido no meu adestramento. Tenho aprendido que tudo isso é para o meu bem... sempre... pois sei que obedecendo vou ter muitas gratificações que irão me deixar a kdela mais feliz do universo. Adoro quando ele me ordena pois não me sinto dominada, mas sim protegida. Sinto que a cada comando me entrego com mais prazer. Fico tão molhada, pois ele demonstra muita vontade de me possuir e isso me faz querer mais e mais me entregar ao seu domínio/proteção. Naquela noite ele me ensinou uma lição valiosa sobre como era possível eu transformar os sentimentos sobre algo. Agradeço mais uma vez ao Dono de mim por mais essa lição e não vejo a hora de termos mais um encontro...

4 comentários:

  1. Las sensaciones de la primera vez son unicas y muy especiales, no importa de que sea la primera vez, siempre se disfruta.

    Tienes un blog muy sexy, Bjos!

    ResponderExcluir
  2. O calor, destino humano, fugir da friesa. Estar disposta, expor-se, dar o que temos e ganhar, melhorar, ser, existir para você, sua glória. Beijos ardorosos e ardentes.

    ResponderExcluir
  3. Belo texto. Adorei.
    Ví seu contato no blog da MFX.
    voce é fetichista extrema?

    ResponderExcluir